terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Sejam bem-vindos e bem-vindas!

Aniversário do Mestre Júlio Camacho (2016)
Sejam bem-vindos todos os interessados em artes marciais! Em especial gostaria de saudar meus irmãos e minhas irmãs Kung Fu do Clã Moy Jo Lei Ou que estão lançando outras iniciativas como essa de criação de blogs sobre Kung Fu. Espero que todos os objetivos desejados a partir da criação desse imenso conteúdo que será produzido pelo conjunto de blogs sejam alcançados. Desejo inclusive que possamos ir além, que os blogs virem uma fonte de trabalho de Kung Fu para além do corpo, e assim sendo, que possa retornar e alimentar as práticas corporais.


Almoço com o Si Fu (2010)

Visita do Grão Mestre Leo Imamura ao Rio de Janeiro (2009)
Eu, Pedro Corrêa, Moy Lei Yat, entrei na família Kung Fu em 2008. De lá para cá foram quase 10 anos de uma prática ininterrupta e cheia de altos e baixos. Depois de todo esse tempo a única certeza que posso tirar desse período é a de que nunca irei me afastar da prática.

Minha cerimônia de admissão na família Moy Jo Lei Ou no antigo Núcleo Méier (2008) 
Ao longo desses anos de prática fiz amizades que foram além do Mo Lan, que me possibilitaram explorar a Vida Kung Fu para além do espaço dos Núcleos, aplicando em conjunto e conversando muito sobre o que Si Gung Leo Imamura chama de "extensão para a conduta".

1. Eu e meu Si Hing Guilherme Farias (Moy Faat Lin) no Núcleo Copacabana (2011) | 2. Eu e Guilherme no meu aniversário (2012)
Mas nenhuma dessas experiências seriam possíveis sem um Si Fu compreensivo e disponível como o meu, o Mestre Júlio Camacho. Através desses anos ele criou situações para convivência quando elas não existiam e acolheu as minhas iniciativas quando surgiam. Com o tempo o meu Si Fu foi se mostrando cada vez mais humano, sendo capaz tanto de autocrítica quanto de empenhar-se em lidar com o reconhecimento pelo seu trabalho bem feito, tudo com muito pé no chão. Nesses quase 10 anos pintei muitas paredes, fiz muito Chi Sau, comi muitas refeições em família, participei de muitos seminários, cerimônias e eventos, e tomei muitos socos e chutes, é claro – e dei alguns também. Ao fundo de todos esses momentos o Si Fu estava lá, sustentando e explorando o potencial deles.

Si Fu e eu durante a entrega do meu nome Kung Fu (2017).

Sob a orientação do meu Si Fu pude participar de diversos espaços de Vida Kung Fu e conhecer algumas pessoas que tiveram destaque. Logo no início da minha jornada no Ving Tsun conheci minha orientadora formal – praticamente honoris causa –, presente em quase todos os momentos cruciais de meu desenvolvimento com suas orientações precisas. Hoje ela é conhecida como Mestra Úrsula Lima, sendo também Si Fu e líder da Família Moy Lin Ma, sediada em Copacabana.

Workshop sobre Ving Tsun em Ipanema (2009).
Pude também ao longo desses anos ter a honra de ter sido escolhido orientador formal no processo de passagem de nível de alguns praticantes, o que me deixou muito feliz.

Si Fu, Eu e Gabriel Faria em sua cerimônia de passagem de nível (2014).

Após esta breve apresentação composta de alguns momentos que foram marcantes para mim, convido todos a continuarem leitores da página para conhecerem e desvendarem junto comigo a relação entre o oriente e as artes marciais. Que a nossa jornada seja longa e rica de desenvolvimento marcial e de oportunidades de vida e entendimento sobre Kung Fu.






Saudações,
Pedro Corrêa (Moy Lei Yat), discípulo 28 do Mestre Júlio Camacho (Moy Jo Lei Ou).